Sobre as margens do rio Douro e os vales de Marco de Canaveses, observa-se um extenso terreno rochoso e bastante ingrime. A pretensão do cliente do dito terreno, consistia em reabilitar 3 casas preexistentes e transformá-las em alojamento local, nomeadamente: a Casa do Verde, a Casa do Aguardente e a Casa do Esconderijo. No entanto, o seu objetivo principal era edificar um Hotel de 5 estrelas com as vistas para o rio (Quinta da Piela) e, também, construir ao seu lado uma moradia para uso próprio (Casa da Figueira).

As magnificas paisagens para o monte e o rio, onde a envolvente natural ainda pouco foi explorada pelo ser humano - reforçam a potencialidade de formação de um empreendimento turístico nesta área. Contudo, a criação de novas construções foi condicionada por um conjunto de fatores: pela topografia do terreno, pelos limites de reserva natural, pela orientação solar e pelas normativas locais de construção.

Em termos de linguagem arquitetónica, o edifício é caracterizado por uma dicotomia entre o contemporâneo e o tradicional. O alçado principal é caracterizado pelos grandes vãos envidraçados, voltados para o Rio Douro, com elementos revestidos a zinco em cor antracite. Este alçado, com o aspeto maioritariamente leve e translucido, contrasta com as restantes fachadas em granito amarelo e acabamento irregular e soletos ogivais de ardósia preta, pregada em escama.

Rua da Aldeia Nova
Marco de Canaveses, Porto, Portugal

FINALIDADE:

ÁREA BRUTA:

1280 m²

ANO:

2022

Hotel Rural

LOCALIZAÇÃO:

QUINTA DA PIELA

MARCO DE CANAVESES